domingo, 15 de março de 2015

Sociólogo Sergio Fausto emite opinião sobre a sustentação do Governo Dilma após manifestação democrática de 15 de março.

Nota de C&T:O texto abaixo não representa para mim a absoluta verdade, mas como cidadão brasileiro não posso me desconectar da realidade. No site da uol, especialmente no áudio disponível, conforme link exposto no final da publicação seguinte, é possível se entender um pouco sobre o que pode acontecer de bom e de expectativas negativas para os próximos dias no Brasil lá para as bandas do Planalto. O sentimento de rejeição ao governo atual gera desconforto aos adversários, mas principalmente aos defensores e aliados do governo atual no sentido de não dar espaço para que os opositores ganhem força. Pensar em uma alternância de governo para 2018 é tudo que os apaixonados pelo PT não querem.

15/03/2015 17h51 - Atualizado em 15/03/2015 18h00


 "Governo Dilma acabou neste domingo", avalia sociólogo

Em entrevista à Jovem Pan, o sociólogo e cientista político Sérgio Fausto avaliou que as manifestações contra o governo deste domingo (15) são um marco no segundo mandato da presidente Dilma Rousseff. "O governo Dilma tal como ele se constituiu até agora acabou neste domingo", disse. "(O governo) precisa se reconstituir e começar a "criar um novo plantel neste domingo", sugeriu.

A força das manifestações, as quais Fausto considera "impressionantes", provocarão mudanças, entende. "A reforma política é inevitável", disse.

O especialista entende também que a causa dos protestos é a falha do diálogo do governo com o povo. "A base aliada no congresso se mostrou inteiramente incapaz de comunicar-se com a sociedade", disse. "É um governo fadado ao fracasso", avaliou. "A manifestação de hoje esfrega isso na cara do governo."


Consequências políticas
Como "político não rasga voto", Dilma deve enfrentar um dilema do que fazer a respeito dessa massa de pessoas que mostraram insatisfação com o governo. "Uma outra equipe precisa assumir a política", ponderou.

Fausto vê um sentimento parecido com o das Diretas Já, embora à época havia palanque político e membros da oposição discursando, algo que o povo não permitiu que acontecesse nesse domingo.

Mesmo assim, o cientista político vê dois partidos que poderiam se beneficiar com os atos: PSDB e PMDB. O PSDB "como principal força de alternância desse governo" e o PMDB, uma vez que pode "tornar mais caro o preço do apoio ao governo na medida em que ele se enfraquece".

Fonte: http://jovempan.uol.com.br/noticias/brasil/politica/governo-dilma-acabou-neste-domingo-avalia-sociologo.html